Livro sobre as padarias comunitárias do Paraná será lançado neste sábado

PAG6

As mulheres são 86,49% das participantes das padarias comunitárias.

Solidariedade, amizade e construção coletiva são os principais ingredientes do livro ‘Multiplicando as sementes’, que será lançado neste sábado (18), no bairro Xaxim. Trazendo a história de criação e desenvolvimento da Rede Paranaense de Padarias Comunitárias Fermento na Massa, o material conta o funcionamento da rede e divulga as ações dos 30 empreendimentos de economia solidária que integram o grupo.

Existente desde 1996, as padarias comunitárias surgiram a partir da necessidade de ajudar famílias empobrecidas da região Sul de Curitiba. Atualmente, 30 padarias integram a Rede Paranaense – 18 localizadas em Curitiba (principalmente na região sul) e outras 12 estão espalhadas por nove municípios do Paraná: Almirante Tamandaré, Colombo, Piraquara, Campo do Tenente, Quitandinha, Pinhais, Lapa, Irati e Mallet.

No lançamento, durante todo o sábado, serão realizadas atividades relacionadas à Economia Solidária, para que cada participante possa experimentar esta outra forma de trabalho e de relação social. Além da apresentação do livro, marcada para às 14h30, haverá uma Feira de Economia Solidária, rodas de conversa, cirandas e apresentações artísticas. O Livro é produzido pelos coletivos que integram a Rede, com o apoio do Centro de Formação Urbano Rural Irmã Araújo (Cefuria).

Outra economia

Os empreendimentos produzem e vendem coletivamente pães, bolos, bolachas, e outros doces, dentro da perspectiva da Economia Popular Solidária. De acordo com levantamento feito pelas coordenadoras da Associação das Padarias Comunitárias em 2015, a cada mês, o conjunto dos 30 grupos utiliza 12 toneladas de trigo, produz cerca de 18 mil pães caseiros e atinge o faturamento bruto de 100 mil reais, aproximadamente 1,2 milhão ao ano.

São as mulheres as principais construtoras das padarias comunitárias: das 96 pessoas que trabalham nos 30 grupos, 83 são mulheres, ou seja, 86,49%. Mais do que contribuir para a geração de renda das famílias, o trabalho nas padarias contribui no resgate da dignidade e da autoestima de pessoas que muitas vezes são excluídas do mercado de trabalho capitalista, como explica o educador popular do Cefuria, Antonio Bez, que atua junto à Rede. “Desde seu início com o trabalho coletivo, autogestionário e solidário, as padarias fazem a diferença nas vidas das pessoas e também na comunidade onde está atuando”.

Integrante da Padaria Nossa Senhora Aparecida, no Xaxim, Silvanira de Freitas conta a participação no coletivo a ajudou a seguir adiante com sua vida. “Por mais complicado que sejam os problemas que eu tenho, pra mim foi uma benção eu entrar aqui, porque o problema de depressão que eu tinha, hoje eu posso constatar até com o próprio médico que eu não tenho mais”. E ela fala sobre o funcionamento do empreendimento. “A rotina é como outro trabalho normal. Eu encho a bicicleta já de cara com 40 pães, uma sacola com mais 10, 12 pacotes de bolacha. Então eu saio, vou vendendo, vou entregando, vou pra escola, vou pra rua, e enquanto não acaba eu não volto”.

Consumidor das padarias comunitárias, João Swaab diz optar pelos produtos produzidos pelos grupos porque percebe que os coletivos não visam apenas o lucro, mas a iniciativa comunitária dentro da lógica da solidariedade. “E também a questão da alimentação mais saudável, natural e artesanal, que é o que eu priorizo”, aponta.

Agende-se: 
O quê: Lançamento do Livro da Rede Paranaense de Padarias Comunitárias.
Quando: dia 18 de junho, das 9h às 17h.
Onde: comunidade São Cristóvão, Rua Torquato Tasso, 321, Xaxim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 7 =