Em Curitiba, 1º de maio terá dois atos em defesa de direitos trabalhistas e contra o golpe

1º-de-maioManifestações são organizadas pela Frente Brasil Popular, movimentos populares e setores da igreja católica.

O pacote de ataques aos direitos trabalhistas e à democracia faz do próximo domingo, Dia do Trabalhador, data de mobilizações por todo o Brasil. Em Curitiba, o 1º de maio será marcado por dois atos. A partir das 9h, a Arquidiocese de Curitiba e a Pastoral Operária organizam uma mobilização no bairro Alto Boqueirão, na comunidade Bom Pastor, com o tema “Qual o valor do seu trabalho?”. O café da manhã coletivo vai abrir a atividade, seguida de celebração religiosa e rodas de conversa sobre o momento atual. >> Confira o evento aqui

No período da tarde, a mobilização do bairro se soma ao ato na Praça Rui Barbosa, Centro da cidade. A ação é mobilizada pelo Fórum de Lutas 29 de Abril- que integra nacionalmente a Frente Brasil Popular -, que reúne sindicatos, movimentos populares e organizações diversas do Paraná. Previsto para iniciar às 14h, o ato vai intercalar apresentações artísticas, falas e atrações voltadas para as crianças, como cama elástica e camarim de pintura no rosto. Está confirmado show do grupo paulista de rap Crônica Mendes. >> Confira o evento aqui

Jardel Lopes, integrante da Pastoral Operária, avalia o cenário brasileiro como caótico para os trabalhadores e trabalhadoras. A flexibilização dos direitos trabalhistas, o risco de retirada do 13º salário, de congelamento do salário mínimo e de terceirização “reduzem direitos e matam trabalhadores”, garante Lopes. Para o integrante da PO, atuar junto aos trabalhadores na defesa de direitos e da democracia é reflexo da doutrina da Igreja, que provoca a ação na realidade social. “A motivação do Papa Francisco para ‘uma igreja em saída’ (EG, 20), nos provoca, nesse momento, a defender a democracia e os direitos dos povos”, aponta.

Para Antonio Bez, educador do Cefuria que participa da preparação do ato no Alto Boqueirão, é preciso avançar no diálogo com a população dos bairros e superar a difusão de informações apenas pela mídia comercial: “Precisamos chegar a este público, ouvir e construir a resistência popular, para não perder direitos conquistados e conquistar direitos que o povo trabalhador ainda não tem. Com o povo participando, as transformações acontecem”.

Regina Cruz, presidente da Central Única dos Trabalhadores do Paraná (CUT), afirma que o 1º de maio deste ano é emblemático, diante da ameaça de golpe institucional e dos mais de 50 projetos de lei em tramitação, voltados aos interesses da categoria patronal e ao retrocesso de conquistas históricas. “Nossa mobilização tem como centralidade a defesa dos direitos da classe trabalhadora do campo e da cidade. Os trabalhadores precisam tomar as ruas e mostrar a sua força contra o avanço conservador”.

Agende-se:
9h – Ato no Alto Boqueirão
Local: 
Comunidade Bom Pastor, rua Soldado Bueno da Silva, 132 esquina com a rua dos Pioneiro – Alto Boqueiro.
Ônibus:  Circular Sul, desce na estação tubo Érico Veríssimo. Saindo do terminal do Boqueirão, 7º tubo sentido Sítio Cercado. Saindo do terminal do Sítio Cercado, 2º tubo sentido Boqueirão.
Contatos: 2105-6326 / 9645-5603 (Maria Inês da Costa)

14h – Ato na Praça Rui Barbosa, Centro

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + 3 =