Grito dos Excluídos discutirá retrocesso de direitos humanos e a relação com a mídia

Realizada no próximo dia 7 de setembro, na Vila Centenário, mobilização traz a questão “Que país é esse, que mata a gente, que a mídia mente e nos consome?”
>> Acesse aqui a página do Grito dos/as Excluídos/as de Curitiba e RMC no facebook 

Grito dos Excluídos 2015

Em um cenário de constantes ameaças a direitos já conquistados – como a proposta de redução da maioridade penal e retirada de direito dos/as trabalhadores/as – o Grito dos Excluídos de 2015 questiona “Que país é esse, que mata a gente, que a mídia mente e nos consome”.

A mobilização deste ano será realizada na Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Belém, na Vila Centenário. Realizado anualmente, desde 1995, durante a semana da Pátria, o Grito dos Excluídos convida a refletir a real independência do país.  Tendo origem ligada às pastorais sociais e movimentos populares, essa organização popular tem como propósito dar eco às vozes de excluídos, marginalizados e oprimidos da sociedade.

Com o crescente número de assassinatos, de aumento da população carcerária, e de movimentos voltados à punição e não ao combate da raiz da criminalidade, a mobilização desse ano convida a refletir também o papel da mídia na onda conservadora e reacionária que assola o país. Com a concentração dos meios de comunicação, a sociedade não é efetivamente representada. Além disso, a forma como se dá a cobertura midiática contribui para o aumento da sensação de insegurança, que dá a entender que a punição legal e a redução da maioridade penal poderão  dar fim aos crimes.

Para ajudar na discussão, trazemos alguns pontos levantados no texto do integrante da Pastoral da Juventude da Arquidiocese de Curitiba, Jardel Lopes, que explica o sentido do Grito dos Excluídos deste ano.

>> Leia o texto completo aqui

Que país é esse,

“Assistimos as correlações de poder e interesses pessoais sobrepondo aos direitos sociais. A vida não ganha o primeiro lugar quando o capital é prioridade nas relações. Quando se escolhe expulsar os camponeses para plantar milho e soja transgênicos. Quando se coloca nas mesas produtos regados com agrotóxicos. Quando se reduz direitos de trabalhadores e precariza o trabalho humano. Encarcera-se em massa os pobres e jovens. Mata-se os jovens pobres, negros e periferia”. 

que mata gente,

Dados do Mapa da Violência 2015 mostram que em pouco mais de 20 anos as mortes ocasionadas por arma de fogo cresceram quase 400%, enquanto a população teve um crescimento em torno de 61%. No caso de jovens, o percentual desse tipo de morte é ainda maior: o crescimento foi de mais de 450%.

que a mídia mente,

Menos de dez famílias-empresas controlam 70% da mídia no país: propriedade cruzada, conglomerados midiáticos formam o cenário brasileiro. Somado a isso, está o fato de que, só no Paraná, 23 políticos são proprietários de veículos de comunicação. Imparcialidade? Não caia nessa. Você acha que essa mídia representa novo povo, nosso bairro, e nossa realidade?

e nos consome?

O Estado faz a opção pelo capital. Para isso, atropela a dignidade humana, nos impondo um modelo de vida consumista, onde 10% dos mais ricos concentram quase metade das riquezas do país, e onde são consumidos as comunidades tradicionais, as periferias e os movimentos de resistência.

Grito dos Excluídos
Data: 7 de setembro de 2015
Horário: 8h30
Local: Paróquia  Nossa Senhora do Rosário de Belém
Rua Amador Bueno, 627 – Vila Centenário
Curitiba – Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 2 =