Ato Campo e Cidade paralisa diversas estradas em defesa da agricultura familiar e da reforma agrária

Mais de 11 mil pessoas realizam ato unificado do Campo e Cidade no Paraná, na região sul e São Paulo, nestas terça e quarta-feira (12 e 13). No estado paranaense, foram fechadas rodovias em Candói (BR 277), Cascavel (BR 277), Curitiba (Contorno sul da BR 116), Marmeleiro (PR 180), Mauá da Serra (BR 376), Pitanga (PR 466) e Quedas do Iguaçu (na Fazenda Araupel). Os protestos contaram com a presença de movimentos sociais do campo, além de organizações e entidades da cidade.

 

 

 

 

 

 

No Ano Internacional da Agricultura Familiar, os protestos tem o objetivo de reivindicar ações concretas do poder público e chamar a atenção de toda a sociedade sobre a importância da agricultura familiar e camponesa, a Reforma Agrária e a agroecologia.

Enquanto as rodovias foram fechadas, em Brasília as lideranças das entidades negociavam com o governo federal, em busca de avanços e revisão no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

Outra conquista foi o comprometimento do governo em aumentar os recursos para as moradias e agricultura familiares, por meio do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR). Quanto ao fomento ao cooperativismo, a Secretaria Geral da República assumiu o compromisso de organizar um Comitê Intermunicipal para formulação de normativas e decretos que ajustem a liberação de recursos para a organização destes segmentos.

10458025_674463072645286_201116878469889867_n

As negociações prosseguem em Brasília nesta quarta-feira (13) para tratar questões relacionadas à Reforma Agrária e a Reforma Política, em meio a campanha do Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva.

Mais informações: http://www.mst.org.br/node/16391

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 8 =