Graffiti: expressão, comunicação e atitude por meio da arte!

IMG_7230

Fonte: matéria publicada originalmente no jornal comunitário Folha do Sabará, edição de abril. Por Carolina Goetten e Ednubia Ghisi

Lápis, papel, spray e muita criatividade. Esses são alguns dos elementos que fazem do graffiti uma forma de expressão e comunicação vista por toda a cidade. E é pelo grafite que começou o curso de comunicação popular no Comunidade Escola da Escola Municipal Cândido Portinari (CAIC), no Sabará. As atividades acontecem aos sábados à tarde, voltadas principalmente para adolescentes e jovens. Toda a juventude da região está convidada a participar!

A primeira atividade aconteceu no dia 6 de abril e contou os educadores, escritores de graffiti Miguel Avellaneda (Insurgente Barba), e Rudimar de Lara Catira (Rudy Style). Participaram cerca de 90 jovens do Sabará e o coletivo de educadores está confiante de que o grupo segue firme até o fim do ano.

A produção com graffiti deve ir até maio, quando os jovens participantes irão colorir os muros da escola. Depois também serão oferecidas oficinas em outras áreas da comunicação, como produção de textos, rádio, fotografia e vídeo, dentre outras. As atividades diversas estimulam que os jovens comuniquem suas ideias, protestos e críticas através da arte e da comunicação.

Para Rudy Style, comunicar-se através do grafite é muito importante, principalmente para a juventude da periferia: “O graffiti é uma ferramenta pra gente se expressar e dizer aquilo que muitas vezes não conseguimos expressar na comunidade. É para expressar o que pensamos, as indignações com o governo, os problemas pessoais, sociais, do bairro, como forma protesto. Também serve como uma forma de homenagear alguém que se foi, alguém de que a gente gosta. Com o graffiti, a gente consegue fazer essa revolução com tintas”, diz Rudy, morador de Jardim Ipê, São José dos Pinhais.

A coordenadora do Comunidade Escola, Eunice Fuhrmann, diz que o CAIC está acreditando no projeto. “É um trabalho que leva à conscientização e mostra para a comunidade que a escola é um espaço dela. A partir do graffiti estamos tentando oportunizar que os jovens façam arte na escola, que desenvolvam suas habilidades nessa área”, diz.

As atividades são realizadas em conjunto entre o Centro de Formação Urbano Rural Irmã Araújo – Cefuria, o CAIC Cândido Portinari, a Rede de Educação Cidadã – Recid, o Levante Popular da Juventude e o jornal Folha do Sabará.

Fotos: Melissa Andrade 

Juventude e comunicação

Juventude_Comunicaçao_25.05 (9)

Juventude_Comunicaçao_25.05 (14)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + 1 =